China planeja lançar sua própria sonda para Marte já no ano que vem

A agência espacial da China planeja lançar uma sonda para Marte já no ano que vem, conforme um comunicado enviado por um dos cientistas espaciais mais proeminentes do país. Essa será a segunda grande missão espacial da China, após pousar com sucesso no lado oculto da Lua.

• Por que a China quer lançar a primeira usina espacial de energia solar do mundo• Foto capturada da órbita lunar mostra sonda chinesa no lado oculto da Lua

O anúncio veio antes da reunião da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês, que basicamente é um conselho de representantes de todo o espectro político da China.

“Durante os últimos 60 anos, realizamos muitas conquistas, mas ainda há uma grande distância para os poderes espaciais mundiais. Precisamos acelerar o nosso passo”, disse Wu Weiren, designer chefe do programa de exploração lunar da China, ao rede global de televisão chinesa CCTV+. “[…] A China se tornará o terceiro país a ser capaz de realizar tal feito, após Estados Unidos e Rússia. No ano que vem, vamos lançar uma sonda para Marte, que irá orbitar ao redor do planeta, pousar nele e coletar dados”.

A China lançou seu primeiro satélite com sucesso em 1970, logo depois dos Estados Unidos e da Rússia, mas faz pouco tempo que começaram a tirar o atraso nas capacidades espaciais. O primeiro orbitador lunar chinês, o Chang’e 1, foi lançado em 2007; mais recentemente, o lander e rover Chang’e 4 pousaram no lado oculto da Lua. A missão de retorno de amostras lunares Chang’e 5 deve ser lançada neste ano.

A missão chinesa para Marte se juntaria as atuais missões da NASA e a Agência Espacial Europeia (ESA) que estão explorando o Planeta Vermelho ou que estão programadas para acontecer. A agência espacial da China planeja lançar outras missões para o espaço profundo antes de 2030, incluindo uma para Júpiter, de acordo com o Xinhua.

A missão ainda sem nome não será a primeira tentativa do país a alcançar Marte. Em 2011, a Administração Espacial Nacional da China (CNSA) tentou enviar outro orbitador chamado Yinghuo-1 para o Planeta Vermelho, mas a nave, incorporada ao missão russa Phobos-Grunt, não conseguiu sair da órbita da Terra.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − 12 =