O FBI assumiu controle de um site de pornografia infantil e o tráfego quintuplicou

Em fevereiro de 2015, o FBI se infiltrou no Playpen, um círculo de pornografia infantil na dark web. Depois de tomar o controle do site, a agência poderia derrubá-lo, mas não o fez imediatamente.

• Organização cria uma criança virtual para enganar pedófilos na internet
• FBI pagou valor recorde para hackear iPhone que ainda não revelou nada importante

Em vez disso, o FBI manteve a página no ar durante duas semanas e aproveitou para instalar um malware nos computadores dos visitantes. Esse malware foi usado para identificar mais de 100 pessoas que, depois, foram indiciadas sob a acusação de pornografia infantil.

Embora identificar pedófilos seja uma coisa positiva, a legalidade da operação é um problema mais complicado. Além disso, há toda uma questão sobre a agência poder hackear os computadores das pessoas.

E como você pode imaginar, quem foi detido na Operação Playpen não concorda com todo o esquema: eles estão pedindo para o tribunal desconsiderar as acusações. Um dos advogados do principal administrador do Playpen afirma que o FBI fez o site funcionar mais rápido e de forma eficiente, além de ter aumentado o tráfego.

A moção, como aponta o Motherboard, argumenta que o governo levou mais usuários até o conteúdo de pedofilia:

Como resultado, o número de visitantes do Playpen [cresceu] de uma média de 11 mil visitantes semanais para aproximadamente 50 mil por semana enquanto estava sob o controle do governo. Durante essas duas semanas, o número de membros do site cresceu em 30%; o número de visitantes únicos por semana mais que quadruplicou; e aproximadamente 200 vídeos, 9 mil imagens e 13 mil links relacionados a pornografia infantil foram publicados no site.

O tráfego aumentou demais e o FBI deixou o site mais rápido, o que agradou os usuários. Há, infelizmente, o risco de as acusações não serem levadas para a frente na justiça e o caso ser arquivado.

[Motherboard via Christopher Soghoian]

Foto por Oleksiy & Tetyana Kovyrin/Flickr

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *